Icone Acesso a informação
Portal
Transparência 
Consulta Prévia
Consulta
Prévia
Esporte
Data: 04/06/2024 - Escrito por: Émerson Justo - Imagem: Divulgação/FME

//Parajasc: Criciúma conquista 20 medalhas e oito troféus em Blumenau

Tweet
Competição foi disputada entre os dias 27 de maio e 2 de julho, no Vale do Itajaí

Ao fim da 17ª edição dos Jogos Abertos Paradesportivos de Santa Catarina (Parajasc), disputado entre segunda-feira (27) e domingo (2), em Blumenau, o município de Criciúma contabilizou 20 medalhas conquistadas, além de seis troféus gerais por segmento e dois por equipes. Das 12 modalidades disputadas na etapa estadual, Criciúma participou de cinco, com o adiamento do atletismo e o cancelamento da bocha paralímpica.
 
Para a coordenadora do Paradesporto de Criciúma, Solange Lima, o município alcançou bons resultados. “Nós subimos ao pódio em todas as modalidades que disputamos. Apesar do adiamento e cancelamento do atletismo e da bocha paralímpica, respectivamente, em que tínhamos projeções de várias medalhas, conseguimos um grande número de conquistas. Todos os paratletas estão de parabéns, inclusive, aqueles que viajaram e tiveram que retornar sem competir, que estavam preparados”, salienta.
 
Criciúma teve representantes nos quatro segmentos paradesportivos: Deficiente Auditivo (DA), Deficiente Físico (DF), Deficiente Intelectual (DI) e Deficiente Visual (DV). O município conquistou 13 medalhas de ouro, três de prata e quatro de bronze. Na somatória dos segmentos, as equipes criciumenses receberam seis troféus gerais, sendo dois de segundo lugar e quatro de terceiro lugar.
 
Resultados de Criciúma
 
Na natação, Criciúma conquistou o maior número de medalhas. Os paratletas DF Nicolas Fonseca e João Paulo Gregorini foram campeões nas dez provas que disputaram. Enquanto o primeiro venceu as provas nos 50m livre, 100m costas, 100m borboleta, 100m livre e 200m medley na classe S10, o segundo conquistou as provas dos 50m livre, 100m costas, 100m livre, 100m peito e 200m medley na classe S6.
 
No ciclismo DF, Jeferson Luiz Maria foi campeão no masculino e Taionara Zenki campeã no feminino. A terceira medalha de ouro foi conquistada no tênis de mesa DF masculino, com o paratleta Ramon Colombo. Também no tênis de mesa DF masculino, Leonardo Arnold conquistou a medalha de prata, assim como os paratletas Lucas da Rocha e Kauan Pacheco, no tênis de mesa em dupla DI masculino. A última medalha de prata foi recebida pela dupla Carmem Lúcia Pacheco e Tania Feliciano, na bocha Rafa Vollo DF andante feminino.
 
As medalhas de bronze foram conquistadas no xadrez DA masculino, por Bruno Colombo, na bocha Rafa Vollo DV masculino, pela dupla Antônio Carlos Nunes e Delfino Cunha, com o chamador Miguel Marques, na bocha Rafa Vollo DF cadeirante masculino, pelo trio Albertino Pacheco, Hedinho Nunes e Salésio Neves, e no tênis de mesa DF cadeirante masculino, pelo paratleta Isaías de Assis.
 
Os troféus gerais por segmento foram conquistados no ciclismo DF feminino e no xadrez DA masculino, como segundo lugar e, como terceiro lugar, no tênis de mesa DF masculino, tênis de mesa DI masculino, xadrez DF masculino e bocha Rafa Vollo DV masculino. Criciúma recebeu, ainda, os troféus de segundo lugar na bocha Rafa Vollo DF feminino e de terceiro lugar na bocha Rafa Vollo DF masculino, nas disputas por equipe.
 
Além da Fundação Municipal de Esportes (FME) de Criciúma e da Associação Desportiva (AD) Criciúma, os paratletas representaram a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Criciúma, Associação dos Deficientes Físicos de Criciúma (Judecri), Associação dos Deficientes Visuais do Sul (Advisul), Associação Vida Ativa São José, Instituto de Educação Especial Diomício Freitas e Sociedade Recreativa Mampituba (SRM).
 
“Infelizmente, a competição não foi realizada como deveria, tivemos inúmeros problemas na organização, principalmente, com a falta de árbitros. Esperamos que esses transtornos sejam resolvidos pela Fundação Catarinense de Esportes (Fesporte) e o paradesporto melhor valorizado. Nosso muito obrigado a todos os nossos parceiros, paratletas e comissões técnicas, que se dedicaram e representaram muito bem o município de Criciúma”, ressalta o presidente da FME de Criciúma, Adriano Osellame.

Mais notícias

Notícias Relacionadas