Prefeitura propõe parceria para pavimentação de ruas
Página Inicial > Notícias > Notícia
Prefeitura propõe parceria para pavimentação de ruas
Projeto apresentado aos moradores do bairro Mina do Mato é semelhante ao que foi realizado na rua Divo Rodrigues Cardoso, no bairro Archimedes Naspolini
Data: 10/04/2018    Última Atualização: 10/04/2018    Texto: Vivian Sipriano    Foto: Vivian Sipriano    Categoria: Sistema de Infra.  

O prefeito Clésio Salvaro e a secretária de Infraestrutura, Planejamento e Mobilidade Urbana, Kátia Smielevski, receberam nesta segunda-feira (09), no Salão Ouro Negro, no Paço Municipal Marcos Rovaris, moradores do bairro Mina do Mato. O encontro foi realizado com o objetivo de firmar parceria entre Administração Municipal e comunidade para pavimentação das ruas Antônio Cacciatori, Ângelo Cacciatori, Basílio Valentim Zilli, SD 079 e Laura Bordini da Silva.

No programa de pavimentação compartilhada, fica de responsabilidade da prefeitura a infraestrutura de drenagem, terraplanagem, pavimento, meio-fio, lajotas, areia e equipamentos. O processo é realizado com a participação do programa Segunda Chance, que utiliza mão de obra dos detentos do Presídio Regional de Criciúma, proporcionando oportunidade de trabalho e ressocialização aos apenados. A proposta apresentada é semelhante à que foi realizada de forma pioneira na rua Divo Rodrigues Cardoso, no bairro Archimedes Naspolini, inaugurada em 15 de fevereiro.

Os moradores ficam responsáveis pela mão de obra para o assentamento das lajotas, construção de bocas de lobo e calçadas. Desde o início da parceria com as comunidades, oito ruas de dois bairros já foram contempladas. A partir da aceitação da proposta, o início das obras no bairro Mina do Mato iniciaria no segundo semestre de 2018. Segundo o prefeito Clésio Salvaro, uma das vantagens do programa é a valorização dos imóveis em até 50% do valor.

“É bom para a prefeitura não só pela questão da economia, que nem é significativa, mas principalmente por evitar a burocracia. Se optássemos pelo procedimento normal, teríamos que esperar o processo licitatório. Se a empresa vencedora paralisar a obra, seria preciso um novo chamamento, e o processo todo levaria pelo menos 60 dias. Essa parceria é a forma que encontramos de evitar a demora e a burocracia. Um projeto que tem dado muito certo”, ressaltou o prefeito.