Compartilhe:

Ordem de serviço para reforma do Centro Cultural Jorge Zanatta será assinada neste sábado

Melhorias estão orçadas em mais de R$ 1,5 milhão. Reforma do telhado inicia na terça-feira (5)
 / Fotos: Jhulian Pereira/Arquivo Decom Texto: Ana de Mattia

Neste sábado (2), o prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro, assina a ordem de serviço que autoriza o início das obras de reforma do Centro Cultural Jorge Zanatta. A solenidade de assinatura ocorre às 10h, no Centro Cultural Jorge Zanatta, localizado na rua Coronel Pedro Benedet, no Centro.

De acordo com a secretária municipal de Infraestrutura, Planejamento e Mobilidade Urbana, Kátia Smielevski, a reforma da cobertura do edifício inicia na terça-feira (5) e será executada pela Construtora Granzotto Ltda., do Rio Grande do Sul (RS), vencedora de processo licitatório da Superintendência do Patrimônio da União (SPU) em Santa Catarina. “As obras da cobertura estão orçadas em R$ 364 mil”, explica.

A reforma de esquadrias, paredes, instalações elétricas e hidráulicas, entre outras melhorias, está sob a responsabilidade da empresa Expresso Coletivo Forquilhinha Ltda., em virtude da lei municipal 7.066, de 17 de novembro de 2017, que autoriza a Prefeitura de Criciúma a doar áreas de terras para a empresa de transportes. “Os terrenos, localizados no bairro Pinheirinho, estão avaliados em R$ 1,2 milhão. Como não utilizamos mais as terras e a empresa tem interesse de adquiri-las, realizamos a doação. Em contrapartida, a entidade assume os custos dos serviços emergenciais para a recuperação do Centro Cultural Jorge Zanatta”, comenta Salvaro.

A reforma do Centro Cultural Jorge Zanatta, cedido pela União ao Governo de Criciúma, está orçada em R$ 1,2 milhão. Conforme a lei, caso a empresa de transportes não inicie as obras em, no máximo, quatro meses, os terrenos retornam ao patrimônio da Administração Municipal.   

“Uma das metas do Governo de Criciúma é entregar o Centro Cultural Jorge Zanatta para os criciumenses. As obras de reconstrução do local são importantes para manter vivo o patrimônio cultural do município”, ressalta Salvaro.

< Voltar