Vigilância Sanitária de Criciúma apresenta site oficial
Página Inicial > Notícias > Notícia
Vigilância Sanitária de Criciúma apresenta site oficial
Ferramenta possibilita solicitação online de protocolo de Alvará Sanitário
Data: 30/01/2018    Última Atualização: 30/01/2018    Texto: Fagner Santos    Foto: Fagner Santos    Categoria: Saúde  

A Prefeitura de Criciúma lançou nesta terça-feira (30), o site da Vigilância Sanitária do município. O portal foi desenvolvido pela Diretoria de Tecnologia da Informação (DTI), em parceria com a Diretoria Executiva de Comunicação (Decom), e engloba funções administrativas realizadas pelo órgão. O evento de lançamento ocorreu no Salão Ouro Negro, no Paço Municipal Marcos Rovaris.

O prefeito, Clésio Salvaro, ressaltou a importância da ferramenta na implantação da transparência no Governo de Criciúma. “Estes novos serviços online vão facilitar e muito a vida do cidadão, e representam o cuidado que o Governo tem com os criciumenses, possibilitando a troca de informações de maneira rápida e ao mesmo tempo um serviço humanizado e correto”, afirma Salvaro.     

A disponibilização da ferramenta vai otimizar o tempo de quem necessita da emissão de Alvarás da Vigilância Sanitária para poder gerir seu negócio. “Primeiramente, direcionamos o site para arquitetos, médicos e contabilistas. Teremos informações e notícias sobre a Vigilância, além do acesso ao protocolo online para solicitação de alvará sanitário, que anteriormente era emitido apenas presencialmente”, explica a gerente da Vigilância em Saúde, Suzana Maria Albuquerque Vaz. O protocolo pode ser acessado através do link http://www.criciuma.sc.gov.br/vigilancia_sanitaria/.

A ferramenta busca padronizar o órgão de acordo com a identidade visual e padrão de qualidade da Prefeitura de Criciúma. “Estamos trabalhando para facilitar o dia a dia dos funcionários públicos. É um site mais responsivo, ágil, intuitivo e de fácil acesso. Com a interação dos cidadãos, novas funções serão adicionadas com o tempo e com as novas necessidades de uso que eventualmente surjam”, complementa o diretor da DTI, Tiago Ferro Pavan.