Compartilhe:

Dengue é tema de palestra em escolas da rede municipal de Criciúma

Programa EducaDengue conscientiza alunos sobre o Aedes aegypti
 / Fotos: Divulgação/Decom Texto: Jhulian Pereira

Conscientizar os alunos da rede municipal de ensino para manter o Aedes aegypti longe de Criciúma. Este é o objetivo do programa EducaDengue, realizado pela Secretaria de Saúde, através do Programa de Combate à Dengue. Durante os próximos meses, palestras serão ministradas aos estudantes das 72 escolas da Prefeitura de Criciúma.

A primeira atividade educativa ocorreu na sexta-feira (16), na Escola Municipal de Educação Infantil e Ensino Fundamental (EMEIEF) Ângelo Felix Uggioni, no bairro Wosocris. “Duas agentes da Vigilância Epidemiológica levaram conhecimento sobre o mosquito. Os alunos participam e aprendem sobre os malefícios do Aedes”, afirma o coordenador municipal do Programa de Combate à Dengue, Robson Teller.

A aluna Gabriele Barbosa, de 9 anos, aprovou a conversa descontraída. “Foi legal. Aprendi sobre a dengue e depois procurei água parada no pátio da escola”, comenta. Larissa Carvalho, de 10 anos, também fez sua parte após a aula educativa. “A gente aprendeu sobre as doenças. Não podemos deixar lixo espalhado pelo quintal da escola”, ressalta.

As palestras sobre o Aedes aegypti em escolas municipais iniciaram após o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) registrar dois focos do mosquito transmissor da dengue, chikungunya e zika vírus no bairro Quarta Linha. As larvas foram capturadas em empresas localizadas na Rodovia Luiz Rosso.

De acordo com a secretária municipal de Saúde, Francielle Lazzarin Gava, para impedir a proliferação do Aedes aegypti em Criciúma, além de educar os estudantes em salas de aula, a Administração Municipal monitora mais de 670 armadilhas distribuídas em aproximadamente 180 pontos estratégicos.

“Nossa meta é que todos alunos se tornem adultos conscientes no futuro e repassem as informações aos pais. Precisamos estar unidos para combater o mosquito da dengue e mantê-lo longe de Criciúma”, informa a secretária.

Orientações da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive):

- Evite usar pratos nos vasos de plantas. Se usar, coloque areia até a borda;
- Guarde garrafas com o gargalo virado para baixo;
- Mantenha lixeiras tampadas;
- Deixe os depósitos para guardar água sempre vedados, sem qualquer abertura, principalmente as caixas d’água;
- Plantas como bromélias devem ser evitadas, pois acumulam água;
- Trate a água da piscina com cloro e limpe uma vez por semana;
- Mantenha ralos fechados e desentupidos;
- Lave com escova os potes de comida e de água dos animais no mínimo uma vez por semana;
- Retire a água acumulada em lajes;
- Dê descarga no mínimo uma vez por semana em banheiros pouco usados;
- Mantenha fechada a tampa do vaso sanitário;
- Evite acumular entulho, pois podem se tornar locais de foco do mosquito da dengue;
- Denuncie a existência de possíveis focos de Aedes aegypti para a Secretaria Municipal de Saúde;
- Caso apresente sintomas de dengue, chikungunya ou zika vírus, procure uma unidade de saúde para atendimento.

< Voltar