Conselho Municipal de Direitos da Mulher programa dia 8 de março
Página Inicial > Notícias > Notícia
Conselho Municipal de Direitos da Mulher programa dia 8 de março
Além de organizar a programação do Dia Internacional da Mulher, conselheiras se reuniram para discutir ações em prol das mulheres ao longo do ano
Data: 22/02/2019    Última Atualização: 22/02/2019    Texto: Maria Henrique Leandro    Foto: Maria Henrique Leandro    Categoria: Social  

A poucos dias da data que homenageia todas as mulheres, o Conselho Municipal de Direitos da Mulher de Criciúma já começa a planejar a programação. O encontro das conselheiras foi realizado nesta semana na Sala de Conselhos da Prefeitura de Criciúma, e definiu que o Dia Internacional da Mulher, em 8 de março, será marcado por eventos realizados na Praça Nereu Ramos, a partir das 10h até às 14h30.

O objetivo será reunir o maior número possível de participantes para debater sobre violência contra a mulher, conscientização dos direitos e as conquistas dos últimos anos. O evento também contará com palestras e atrações culturais. Às 15h haverá uma missa especial promovida pela Associação Feminina de Assistência Social de Criciúma (Afasc), alusiva ao Dia Internacional da Mulher, na Catedral São José.

Segundo Maria Estella Costa da Silva, presidente do conselho, será um dia de conscientização e valorização das conquistas das mulheres, quando todas as entidades presentes terão voz. “É também um dia para ser festejado. Embora estejamos vivenciando momentos difíceis, com a violência se apresentando de forma gritante, ainda assim, temos muito o que comemorar”, acrescentou.

O conselho decidiu também pela realização de um encontro entre gestores de Criciúma e cidades da Associação dos Municípios da Região Carbonífera (Amrec), no dia 28 de março, no Salão Ouro Negro da Prefeitura de Criciúma, a fim de debater assuntos relacionados às mulheres. O evento terá a participação da desembargadora Salete Sommariva.

“Sempre existiu essa luta, esse movimento. Porém, agora o conselho está com um foco bem atuante. Desde o ano passado viemos percebendo o quanto ele vem avançando na sociedade. Até mesmo na questão de que as próprias conselheiras estão mais próximas umas das outras, havendo assim, uma certa maturidade entre elas”, declarou a presidente.