Compartilhe:

Audiência pública da ETE da Próspera é suspensa

Medida foi tomada após reunião entre Prefeitura de Criciúma, Casan, moradores da comunidade Vila Selinger e vereadores
 / Fotos: Divulgação/Decom Texto: Jhulian Pereira

O Governo de Criciúma suspendeu a audiência pública para apresentar o Estudo de Impacto de Vizinhança (EIV) da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) da Próspera. A medida foi adotada após reunião realizada entre Administração Municipal, Companhia Catarinense de Águas e Saneamento (Casan), representantes da comunidade Vila Selinger e vereadores. A audiência pública estava marcada para o dia 30 de março, às 19h30min, no salão paroquial da Igreja Católica do bairro Linha Batista.  

De acordo com a moradora Aline Selinger Machinski, integrante da comissão da Vila Selinger, a comunidade pretende discutir o EIV somente após analisar o desempenho da ETE da Santa Luzia, que conta com novo sistema para adequar os filtros e melhorar o tratamento de efluentes. “Pedimos mais tempo para observarmos os trabalhos realizados na ETE da Santa Luzia. Queremos analisar durante dias chuvosos, de calor, e em outras situações. Também solicitamos a correção do EIV conforme o desejo dos moradores”, explica.

A ETE da Próspera será instalada na comunidade Vila Selinger e atenderá mais de 33 mil moradores dos bairros Próspera, Vila Rica, Argentina, Brasília, Imigrantes, Ceará, Jardim Maristela, Nossa Senhora da Salete e Morro do Céu. “Apresentamos um estudo aos técnicos da Casan e aos moradores. Chegamos a um acordo e marcamos novo encontro para discutir o projeto no próximo dia 27. Estamos prezando pela relação favorável entre poder público e comunidade”, conta o vice-prefeito de Criciúma, Ricardo Fabris.

Os moradores solicitaram medidas compensatórias para a instalação da estrutura avaliada em mais de R$ 24 milhões. “Há medidas como, por exemplo, a pavimentação asfáltica da rua São Cristovão. Vamos analisar o EIV e tentar chegar a um acordo. A ETE Próspera é importante para a saúde pública, pois vai melhorar o sistema de esgoto sanitário de Criciúma”, finaliza a secretária de Infraestrutura, Planejamento e Mobilidade Urbana, Kátia Smielevski.

< Voltar