Compartilhe:

Após decreto de emergência, Prefeitura distribui mais de 2,2 mil telhas

Um mutirão organizado pela a Prefeitura de Criciúma neste final de semana, atendeu famílias de oito bairros
 / Fotos: Decom Texto: Divulgação/Decom

"Parecia que ia desabar o mundo. Muita pedra. Minha casa ficou com o telhado todo perfurado. Quando parou a chuva, minutos depois saí pra pedir ajuda e a caminhonete da Defesa Civil estava estacionada na frente da minha casa fazendo a distribuição de lonas. No outro dia pela manhã, um caminhão da prefeitura estava parado na minha rua distribuindo as telhas. Fiquei espantada com a rapidez e muito feliz com o tratamento que a prefeitura nos deu", conta a moradora da bairro Progresso, Adelita Cândido de Oliveira, que divide uma casa de 50 m² com seu marido e mais quatro filhos.

Imediatamente após o temporal da última uinta-feira (16), as equipes da Secretaria de Desenvolvimento Social e Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil (Compdec) de Criciúma, com a ajuda das demais Secretarias e do 28º Grupo de Artilharia de Campanha (GAC) do Exército Brasileiro, iniciaram o atendimento e assistência aos 880 cadastros de atingidos pela forte chuva de granizo.

Um mutirão com cinco equipes foi organizado no Centro de Eventos José Ijari Conti e direcionados aos bairros.  Ao todo cinco caminhões estão atendendo as comunidades atingidas, Progresso, São Sebastião, Santo André, Vila Manaus, Jardim União, Nova Esperança, Cidade Mineira e Grande Santa Luzia. Até domingo (19), foram distribuídas mais de 2,2 mil telhas da empresa Imbralit, beneficiando as famílias de baixa renda devidamente identificadas e cadastradas pela Defesa Civil do Município.

O prefeito, Clésio Salvaro e o vice-prefeito, Ricardo Fabris, acompanharam durante todo final de semana os trabalhos diretamente nos bairros. "Estamos trabalhando intensamente. No primeiro momento entregamos lonas à todos os atingidos. Desde sábado estamos realizando a entrega das telhas. Vamos atender toda a demanda, isso poderá levar alguns dias podendo durar boa parte da semana. A tendência é que os trabalhos sejam finalizados até quinta-feira", diz o prefeito Clésio Salvaro.

Após a realização de avaliação de danos e prejuízos, uma nova remessa de telhas será expedida. De acordo com a coordenação da Defesa Civil, com mais um lote de 2,3 mil telhas, será suficiente para atender todas as comunidades. "Nós temos o número de cadastros, mas não temos um número preciso de atingidos, porque tem famílias que por falta de orientação ou informação não fizeram o registro. Mas verificado o estrago e a necessidade, a prefeitura está atendendo e disponibilizando o material", afirma o prefeito

Ajuda extra

A partir de segunda-feira (20), o mutirão contará, além da ajuda do Exército Brasileiro, também com 20 apenados que estão no regime semiaberto. Neste final de semana o coordenador do Presídio Regional de Criciúma, Felipe Alves Goulart e o prefeito Clésio Salvaro, conversaram sobre o assunto e acertaram o reforço extra. "Precisamos de mão de obra. O coordenador verificou a viabilidade jurídica de nos ceder esses homens, e nada mais justo que dar a oportunidade para quem está querendo a ressocialização com a comunidade. O Exército já está nos ajudando, quanto mais ajuda tivermos, mais rápido o problema será sanado", explica Salvaro.

Situação de emergência

Clésio Salvaro decretou situação de emergência de pequena intensidade (nível 1), no município na tarde de sexta-feira (17). A chuva de granizo que atingiu alguns bairros de Criciúma, deixou pelo menos 880 residências com telhados danificados.

< Voltar